A Fiesc Mello e Aguiar 720x405 1

O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, desafia o governador Jorginho Mello a dar uma resposta sobre a alíquota de ICMS (Foto: Estela Benetti)

Govenador de SC estava sendo pressionado por colegas do Sul e Sudeste para elevar a alíquota modal de 17% para 19,5%

Em palestra na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) nesta sexta-feira, o governador catarinense, Jorginho Mello, prometeu que o governo estadual não vai elevar a alíquota modal do ICMS, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, de 17% para 19,5%. Jorginho foi questionado pelo presidente da federação, Mario Cezar de Aguiar, e também pela imprensa e, nas duas vezes, afirmou que o Estado não elevará a alíquota.

– Nós vamos resistir, nós vamos resistir. Nós temos compromisso – disse Jorginho Mello à plateia de industriais presentes no evento em que estava sendo anunciada uma modernização do Prodec, programa do governo de incentivo à indústria catarinense .

A afirmação de “vamos resistir” foi sobre a pressão que o governo de SC vem recebendo, de outros governadores, para elevar a aliquota de ICMS em função da reforma tributária, para não perder receita no futuro.

Segundo o governador, a Secretaria de Estado da Fazenda está fazendo estudos para ver onde pode identificar mais fontes de recursos para evitar esse aumento de alíquota. Esse trabalho estava ainda em andamento, o governo não tinha batido o martelo, mas a reunião da Fiesc provocou uma antecipação da decisão.

Há mais de 20 anos Santa Catarina não eleva a alíquota modal do ICMS, que está em 17%. Muito dessa estabilidade tem a ver com promessas de governadores, desafiados pelas entidades do setor privado que não querem aumento de carga tributária.

via NSCTotal – Coluna Estela Benetti